Final de ano: como lidar com os excessos?

Final de ano: como lidar com os excessos?

Atualizado em dezembro de 2021.

O final do ano chegou e, independente da sua percepção do quão rápido 2021 passou e do quanto daquilo que se propôs você foi capaz de realizar, este é um momento especial para confraternizar com as pessoas queridas por nós. Isso significa, via de regra, estar exposto a uma oferta enorme de alimentos – muitas vezes calóricos e pouco saudáveis do ponto de vista nutricional, mas, certamente, também cheios de significado e acompanhados de boas memórias.

Se eu puder lhe sugerir algo, faça-se o favor de esquecer completamente a composição nutricional do seu prato durante as principais comemorações, como os almoços e jantares de Natal e de ano novo, e coma aquilo que sentir vontade sem culpa, contanto que não esteja em tratamento para alguma questão de saúde específica, incluindo transtornos alimentares. Desfrute do alimento e da companhia das pessoas que estão com você. Não seja aquele que fica julgando o prato de todos ao seu redor e, tampouco, dê atenção para este tipo de gente inconveniente.

No restante do período em que estiver fora da sua rotina, seja ponderado e evite excessos. Não é necessário repetir cinco vezes a sobremesa, como se não houvesse amanhã, da mesma forma que não é necessário ficar desejando uma colher a mais do sorvete que só a sua avó sabe fazer, mas não se permitir comê-lo por medo de engordar.

Pratique atividades físicas de forma regular, aproveitando novos cenários, como a praia, e a companhia de pessoas que normalmente não estão com você. O exercício, além de promover a queima de calorias e alterações hormonais positivas, possui um efeito comportamental importante, pois ajuda a prevenir que se entre em um estado de completo descompromisso com a alimentação.

Este descompromisso generalizado, explicitado em falas e pensamentos do tipo “esse ano não adianta mais mesmo” ou “vou aproveitar agora e ano que vem eu volto a fazer tudo certinho” é o que causa um enorme prejuízo durante esta época do ano. Não adote uma postura extremista! Não é necessário (e definitivamente também não é saudável) encarar este período tão esperado desta maneira radical.

Para aqueles engajados com metas específicas, competitivas ou não, façam o que deve ser feito para alcançar seus objetivos. Ninguém além de vocês saberá dizer quando uma exceção merece ser aberta ou não, e algumas vezes na vida estes eventos merecem ser sacrificados. Tenha em mente o objetivo final! Porém, não esqueça de que a sua escolha pessoal não deve interferir na vida alheia e mantenha-se paciente e bem-humorado durante os eventos familiares.

Por fim, desejo a todos um excelente final de ano, cheio de paz e de amor. Que sejamos capazes de nos sensibilizar para aquilo que realmente tem valor e nos solidarizar com aqueles que não tem condições de, sequer, sentarem-se à mesa com os seus – quem dirá se preocuparem com o excesso de calorias ou composição nutricional dos alimentos.

Um forte abraço,

Filipe.

Deixe uma resposta